A Negligência se Tornou uma Pandemia no Coração da Igreja

por Wesley Porfírio*

Não dizeis vós que ainda há quatro meses até à ceifa? Eu, porém, vos digo: erguei os olhos e vede os campos, pois já branquejam para a ceifa. (João 4.35)

As pessoas estão carentes da Palavra de Deus e da mensagem do Evangelho. Nós cristãos estamos isolados e não é por causa da pandemia, porque antes dela, já não conversávamos com os incrédulos sobre o Evangelho.

Nos conformamos e evitamos confrontos. Julgamos a pregação do Evangelho inoportuna em determinados lugares, horas ou para certos tipos de pessoas. É mais fácil terceirizar a evangelização para o WhatsApp ao enviarmos um vídeo, do que ir aos nossos amigos para semear a semente da Palavra em seus corações.

Eu já falei em outro artigo o porquê de não evangelizarmos como Deus quer que evangelizemos. Click aqui e leia.

Mas Jesus continua dizendo a você: “Erga os olhos e veja que os campos já estão prontos para a colheita!” Se você ama seus amigos, leve a eles a única mensagem que pode alegrar e dar esperança verdadeira a vida deles. Somente proclamando o evangelho eles poderão, pela graça, crer, se arrepender de seus pecados, se converter de seus maus caminhos e poderão o adorar e assim o povos se alegrarão nele e darão TODA A GLÓRIA A DEUS!

Ao desobedecermos a Cristo e não erguermos os olhos para ver os campos brancos para a colheita, usando a pandemia como desculpa, fica evidente a falta de amor a Deus e ao próximo. Isso revela que as nossas lideranças cristãs não estão mostrando o verdadeiro propósito doxológico (de dar a glória a Deus) por meio da Missão de Deus.

O resultado é que a maioria das igrejas está sofrendo de uma pandemia no coração que as impede de cumprir a própria missão da Igreja. A pandemia do coração do crente o faz negligenciar a proclamação do Evangelho. A negligência se tornou uma pandemia no coração da igreja. E um coração negligente com o amor aos perdidos é um coração que nunca conseguirá adorar a Deus em espírito em verdade.

A IGREJA EM OUTRAS PANDEMIAS

Nunca tivemos tantas igrejas sendo tão omissas como atualmente, em tempos de pandemia! Mas a História nos mostra como a Igreja cumpriu seu papel de proclamação do Evangelho em missão doxológica cuidado dos povos da terra durante outras pandemias.

"As igrejas, de modo geral, têm um histórico de solidariedade e de enfrentamento muito forte das pandemias. As igrejas evangélicas, sejam elas protestantes ou pentecostais, sempre tiveram uma postura muito séria em relação às crises epidêmicas” Prof. Gerson Moraes da Universidade Presbiteriana Mackenzie ao portal Guiame.

Veja com a Igreja militou doxologicamente durante outras pandemias por amor ao próximo e com isso foi testemunha da continuação da obra de Cristo por meio delea todos os povos:

  1. Peste Antonina (166–189 d.C.) — Roma
  2. Peste de Cipriano (249–262 d.C.) — Roma
  3. Peste Negra (século 14) — Europa e Ásia
  4. Cólera (1817 — até hoje)
  5. Gripe Espanhola — (1918 a 1919)

Pastores sempre na linha de frente em pandemias com verdadeiros mártires! Assista a esta exposição do Rev. Natsan Matias sobre o papel doxológico da Missão e a sua aplicação neste momento de pandemia: https://youtu.be/2Si2YuxmLms?t=440

O NOVO NORMAL OU A NOVA MENTE?

"não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus." (Romanos 12:2)

Não podemos ser negligentes com os cuidados para evitar a contaminação com o coronavírus SARS-CoV-2, causador do Covid-19. Contudo, vemos que o mundo caído e dominado por principados e potestades das trevas, se aproveita da pandemia para normatizar a iniquidade na cultura dos povos.

O nome dado a isso é "O Novo Normal", que vai muito além de questões sanitárias, mas para o sistema escatológico do homem da iniquidade e, consequentemente, a tentativa de barrar a ação da Igreja e o controle escatológico do Reino de Deus. Ou o cristão se conforma com este século e ao seu "novo normal" ou busca a nova mente regenerada em Cristo pelo poder de seu Evangelho.

Ao ler este artigo para a minha secretária Lurdes Teles, ela disse: "Pegar o celular e ligar para um amigo para levar uma palavra de Deus, é sinal de amor." disse-me sabiamente ela, demonstrando uma nova mente inconformada com a imposição de um "novo normal".

A PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO EM MISSÃO DOXOLÓGICA AOS POVOS

Veja o que John Piper explica sobre a MISSIO DEI (a Missão de Deus) e a ADORAÇÃO como propósito inicial e final da Missão:

“A adoração é, portanto, o combustível e a meta das missões. É a meta das missões porque, nelas, simplesmente procuramos levar as nações ao júbilo inflamado da glória de Deus. O alvo das missões é a alegria dos povos na grandiosidade de Deus. “Reina o SENHOR. Regozije-se a terra, alegrem-se as muitas ilhas” (Sl 97.1). “Louvem-te os povos, ó Deus; louvem-te os povos todos. Alegrem-se e exultem as gentes” (Sl 67.3–4).” (PIPER, p.13)

“Mas a adoração é também o combustível das missões. A paixão por Deus em adoração precede o oferecimento de Deus por meio da pregação. Você não pode recomendar o que não aprecia. Os missionários jamais exclamarão: “Alegrem-se os povos”, se não puderem dizer de coração: “Eu me alegrarei no Senhor… Alegrar-me-ei e exultarei em ti; ao teu nome, ó Altíssimo, cantarei louvores” (Sl 104.34; 9.2). As missões começam e terminam com a adoração.” (PIPER, p.13)

“Se a busca da glória de Deus não for colocada acima da busca do bem
humano nas afeições do coração e nas prioridades da igreja, o homem não
será bem servido e Deus não será devidamente honrado.” (PIPER, p.13)

“A partir de cuidadosa análise bíblica John Piper demonstra que a adoração é o objetivo supremo da igreja e que o culto como Deus o requer é combustível para missões. O autor aborda o papel da oração, o universalismo e o aniquilacionismo, os incentivos da soberana graça de Deus para evangelização e a nossa tarefa de pregar a povos ainda não alcançados. Alegrem-se os povos ajudará estudantes de missões e os crentes em geral a refletir a respeito da relação entre igreja e missão e a respeito da responsabilidade missionária de cada crente.” (PIPER, p.14)

Faça download do Cap. 1 do livro “Alegrem-se os Povos, de John Piper: A Supremacia de Deus nas Missões por Meio da Adoração”:
https://livros.gospelmais.com.br/files/livro-ebook-alegrem-se-os-povos.pdf

Compre o livro na Amazon: https://amzn.to/3p5ZfGP

* Wesley Porfírio é administrador de empresas, gestor de TI desde 1997, missionário dos Intercessores do Brasil, seminarista do SPBC e plantador da Igreja Presbiteriana Esperança em Goiânia.

um pecador redimido em missão doxológica. https://linktr.ee/wporfirio

um pecador redimido em missão doxológica. https://linktr.ee/wporfirio